07 março, 2014

Resenha: A hospedeira - Stephenie Meyer

Livro: A hospedeira
Autor: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
ISBN: 978-85-98078-59-5
Ano: 2009
Páginas: 560
Sinopse: Melanie Stryder se recusa a desaparecer.
  Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo.
  Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente.
  Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

  Olá, pessoal! Estamos de volta com maus uma resenha para vocês. Desta vez, com um livro bem diferente e envolvente, que trata da extinção da humanidade, em sua essência e em seu corpo físico. Tive a oportunidade de lê-lo nas férias, e realmente gostei demais. 

  Se trata do livro A hospedeira, da grande autora Stephenie Meyer, muito conhecida pela produção da saga Crepúsculo. Em A hospedeira, ela supera ainda mais ao tratar de um tema comum, mas muito desconcertante, que vire e mexe, assola o universo e os anseios da mente humana: a questão alienígena. Confesso que fiquei com um pé atrás, como também muitas pessoas ficam ao se tratar da saga Crepúsculo, mas dei uma chance ao livro e não me arrependi. É incrivelmente extraordinário, sem exagero algum.

Em tantos milênios, os humanos nunca entenderam o amor.
  O livro se apresenta bem extenso, constituído por 560 páginas, divididas em 60 subtemas. Logo de início, a leitura se apresenta um pouco cansativa, digamos assim, por se tratar da apresentação do ambiente e dos personagens, com uma grande riqueza de detalhes. Detalhes esses que tornam tudo mais próximo do leitor, transportando o mesmo para a atmosfera em que se passa a trama. Mas é uma leitura agradabilíssima, que logo o envolve, deixando o leitor ansioso e na torcida por seus personagens.

  Bem, vamos ao que importa: o enredo. O livro se passa em um futuro bem distante, onde a humanidade já foi praticamente extinta e onde os que ainda restam fazem de tudo pela sobrevivência, nem que isso custe a própria vida. Uma raça alienígena denominada alma faz dos corpos humanos hospedeiros, na qual passam a viver a vida dos corpos como se fossem o dono deles. A mente humana é completamente apagada, tornando o corpo propício para que a alma o habite. Mas há um porém no meio disso tudo. Peregrina, a personagem principal por assim dizer, já viveu muitas outras vidas ambientadas em planetas diferente, foram oito ao total. Em sua nona vida, ela é avisada que viver em um corpo onde as emoções e sentimentos se apresentam muito fortes, e que é preciso muita força para conduzi-los equilibradamente.

  O corpo é de Melanie, uma das poucas humanas que ainda restam. Melanie se encontrava sozinha com o seu irmão Jamie, quando conhece Jared, um outro humano que ainda resta. Juntos, eles se envolvem e enfrentam tudo com o mais belo e puro amor que é capaz de quebrar barreiras e toda e qualquer forma de adversidade. Melanie logo é capturada pelos denominados buscadores e logo se torna uma hospedeira. Mas algo inesperado acontece, algo muito raro para as almas.Mesmo inserida, Peregrina ainda pode sentir Melanie em sua cabeça e conviver com fortes e duras lenbranças que a perturbam de fato dificultam a convivência. Melanie é uma garota forte que não se entregou tão fácil assim, e junto de Peregrine, elas acabam se tornando aliadas em busca das pessoas que Melanie ama.

  O livro levanta questões interessantes, como que digo sempre: um livro não se trata simplesmente de ficção, mas de ideias e propósitos reais apresentados sob uma visão diferente, garantindo uma lição. As questões que giram em torno da humanidade e sua essência, do corpo e da sua alma. De todos os súbitos e incompreensíveis sentimentos até então. Questões como o ódio, amor, ciúme, tristeza, tudo visto sob a perspectiva de uma alma que logo tem de se adaptar a tudo isso.

  Um livro que faz refletir e questionar sobre a maneira como vemos o mundo e suas limitações sobre as escolhas duras e difíceis que temos de tomar ao longo do percurso e sobre sacrifícios que temos que fazer mesmo que isso custe nosso desequilíbrio físico e mental. É realmente uma grande obra sem restrições, recomendada para todas as idades. Afinal, se trata de humanos em sua suma espécie e essência.

  Bom, espero ter construído as ideia necessárias para que vocês pudessem ter uma noção pelo menos básica de como é esse livro maravilhoso, pois não quero falar demais e acabar soltando algum spoiler. Espero que tenham gostado da resenha.

Um grande abraço , até a próxima e boa leitura!
Mateus Martins


~ Não esqueça de seguir nossas redes sociais ~

14 comentários:

  1. Eu odiei o filme...mas o livro parece ser super interessante :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Line! Particularmente eu gostei de ambos. Mas devo confessar que o filme omitiu muitas partes interessantes apontadas no livro (Acho que isso já é um fato clichê de toda produção cinematográfica baseada em livros). Mas enfim, super recomendo o livro. É bem interessante e especial para quem curte o gênero. Um grande abraço e obrigado por ler a resenha!

      Excluir
  2. Parabéns pela resenha. Embora criticamente não goste do livro, gostei da formatação e coesão apresentada em seu texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Emerson! Fico feliz em saber que correspondi a exata estrutura e coesão textual. Um forte abraço e obrigado por conferir a resenha!

      Excluir
  3. Eu comprei o livro há um tempo pq estava em promoção, mas não consegui passar o terceiro capítulo,ele me deu sono, mas já vi vários comentários dizendo que depois ele evolui bastante.

    Acho que preciso dar mais uma chance pra ele!

    bjs
    http://www.confraria-cultural.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alessandra! O livro tem uma riqueza de detalhes por vezes desgastante, mas que nos transporta totalmente para a atmosfera da trama. O livro de início é parado, mas melhora muito por volta da página 100 em diante. Obrigado por conferir a resenha :) '

      Excluir
  4. Parabéns Mateus pela resenha, muito boa, gostei!!

    ResponderExcluir
  5. Vi o filme nesse carnaval. Ainda não li o livro.
    Mas, o filme é excelente!!!

    Sua resenha ficou muito boa!
    Beijos
    http://plantaoonline.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paola, muito obrigado! O livro é ótimo, recomendo. Bjos!

      Excluir
  6. Eu não li porque assisti o filme e achei um fiasco, mas depois da resenha, vou pensar no caso! ;)

    My Holy Place Blog | Facebook | Comunidade no Google+ | Youtube | Tumblr | Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Néa, obrigado por conferir a resenha. O livro é muito bom. Por vezes cansativo, mas vale muito a pena ;)

      Excluir
  7. Sinceramente não consigo gostar dos livros da Stephenie Meyer. Já tentei ler tanto a saga Crepúsculo quanto a Hospedeira e desisti antes de terminar o livro. A história do nosso planeta ser invadido e eles nos usarem como hospedeiros é muito boa, mas o que me incomoda é como ela parece deixar a ficção em segundo plano e o romance em primeiro. Se o romance fosse mais sútil com certeza seria uma bela história, mas isso vai de gosto pessoal, até porque Crepúsculo não teria feito o sucesso que fez se não tivessem pessoas encantadas com a história e o romance.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Yasmin. Obrigado por ler a resenha. Confesso que fiquei com receio de ler por se tratar da autora da saga Crepúsculo (como citei na resenha em questão), mas li várias resenhas a respeito e dei uma chance para o livro e não me arrependi. De fato fica uma coisa meio que ''indecisa'' de início: É bem uma ficção científica ou um romance devastador? Mas ao longo da trama, na minha opinião, ela se mostra capaz de combinar os dois de uma forma bastante inteligente. Ela nos faz refletir de forma simples e profunda a respeito do ser humano em corpo e essência. Isso me cativou muito!

      Excluir