27 julho, 2014

Resenha: Insurgente - Veronica Roth

  Olá, divergentes...rsrs. Como estamos?

  Hoje darei continuidade a uma das sagas que mais tenho estima, Divergente. Porém, antes vamos falar um pouco sobre a saga.

  A saga ou trilogia é composta pelos livros Divergente (resenha do livro), Insurgente e Convergente; o último lançado em abril deste ano. Estes estão virando adaptações, o filme Divergente já foi lançado esse ano (resenha do filme) e as gravações de Insurgente já teve seu início (ler notícia).

  Bom, muitos alegam ser modinha e acreditam que a história é parecida com a trilogia Jogos Vorazes, mas na verdade não é. Pode sim, ser modinha, mas isso não significa que modinha não presta e não deve ser lido. Aliás, Divergente é um dos livros mais recomendados para ser lido em qualquer idade (ler notícia). 

Livro: Insurgente (Divergente #2)
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
ISBN: 9788579801556
Ano: 2013
Páginas: 512
Sinopse: Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. 

  Um pequeno resumo - Após várias perdas, Tris, terá que encontrar força para poder salvar, aqueles que ama. Em meio a aventuras e perigos, junto a Quantro enfrentarão seus medos e muitas vezes as pessoas que amam. Passando por mentiras e verdades duras cada um terá que fazer grandes escolhas.

  E sofreram pelas escolhas de outrem. Escolhas mudam as vidas.
 
  Como muitas vezes eu disse neste bolg é muito difícil discursar sobre um livro que tanto gostamos, falamos, falamos e na verdade esquecemos do conteúdo. Claro, que muitas vezes esse erro acontece, comigo ou com qualquer um outro que resenhe livros que podemos dizer serem os prediletos. Logo, ficamos mais atentos e tomamos um maior cuidado ao elaborar uma resenha. Espero poder deixar uma boa critica do livro, algo que seja construtivo para vocês, queridos leitores.

  Muitos dizem que é incomum ler uma continuação sem que o autor tenha trago uma parte que tenha sido chata, um incomodo para o leitor. Verdade, muitos autores dependendo de sua obra comete esse erro, como exemplo cito um autor que gosto demais, porém, que pode-se notar essas pequenas falhas, Rick.... Com Veronica Roth, nesse segundo livro eu não vi isso acontecer, Acho que ela desde seu primeiro livro soube conectar os pontos e assim deu conectividade em Insurgente sem deixar o livro chato ou massante. Na verdade parece que Divergente não teve fim e ainda é o mesmo livro em Insurgente.

  O livro começa praticamente no ponto em que terminou Divergente, o qual não irei citar para não estragar a estória para aqueles que ainda não leram o primeiro. 

  Nota-se como as personagens amadureceram após os acontecimentos bombásticos, Tris, se tornou uma adolescente forte, corajosa; não é mais aquela menina que pensa duas vezes antes de praticar um ato; é impulsiva, mas ainda apaixonante. Quatro, ganha um maior destaque nessa trama, descobrimos mais sobre o protagonista e mais ainda sobre sua misteriosa infância e família; no entanto, ele já é um personagem maduro e não se vê muitas mudanças em suas características. E sim, é o Quatro, queridinho de todas e arranca grandes suspiros.

  O livro, é dividido entre romance e ação. Cada acontecimento traz ao leitor uma maior aproximação e conectividade com a trama, fica difícil deixar o livro na cabeceira para dormir. A vontade é de lê-lo tudo de uma vez sem parar; e dependendo da disposição do leitor dá para terminá-lo em dois dias (foi assim comigo).

  O leitor consegue sentir o livro e as emoções das personagens. Você sente calma em uma passagem tranquila, o medo e a aceleração de um acontecimento de ação. Cada ponto traz algo que te faça querer ler o próximo capítulo e a próxima página. Rs. O final é literalmente assim, insônia, não tem como seguir em frente após o final, você só quer descobrir o que vem depois. E também ele te causa um impacto grande. 

  - hã?? como assim? não pode ser??? cadê a próxima página??

  Essas são as falas e pensamentos de um leitor ultra curioso com o término. V.R sabe fechar suas tramas e deixar o leitor preso a ela. É uma escritora promissora e espero que ela continue escrevendo e que traga muitas obras boas para nós leitores.

Fico por aqui, espero que tenham gostado.
Beijos.







~ Não esqueça de seguir nossas redes sociais ~

Nenhum comentário:

Postar um comentário