24 agosto, 2014

Resenha: Eva - Anna Carey

Título: Eva
Autor: Anna Carey
Ano: 2013
Editora: Galera
ISBN: 9788501092755
Páginas: 288
Sinopse: No futuro, uma praga mortal aniquilou a população da terra. Homens e mulheres seguem segregados. Os meninos são mandados para campos de trabalho forçado. As meninas, para Escolas onde aprendem uma profissão chave na reconstrução mundial. Mas as aparências enganam. E Eva está prestes a descobrir que a verdade pode ser muito mais terrível do que o vírus que varreu seu país. Está prestes a descobrir que seu futuro pode ser mais parecido com a da primeira mulher a levar seu nome.


Eu comprei esse livro sem muitas expectativas, afinal de contas o que mais temos é opção para distopias. O que mais me chamou a atenção foi a capa, tenho que admitir.


Achei que este seria um mais do mesmo, mas a surpresa foi bem positiva. A leitura é rápida e fluida, o livro te traz questionamentos muito bacanas, que é a parte que eu mais gosto de distopias.

A proposta é diferente do que eu tenho visto em livros do gênero. Achei que o livro é bem rápido, a escritora não fica de lenga lenga. A personagem principal não é tão badass, mas não é uma mala, nem é bobona. Na verdade é totalmente plausível que ela não seja badass já que ela é erudita, foi educada para ser uma pessoa estudada e para temer e não confiar no sexo oposto.

No cenário temos um monarca, assumidamente um monarca. Geralmente vemos déspotas disfarçados de "democratas".

Eu simplesmente adorei os personagens, a interação e o desenvolvimento da história. Essa escritora me parece bem corajosa e desapegada rs

(...) A caminho da porta, pisei em uma pilha de papeis verdes ...Peguei um deles, no qual estava escrito 100, o rosto severo de um senhor impresso nele, e percebi, subitamente, que aquilo era uma cédula de dinheiro velho. Amassei a nota e joguei no chão , deixando-a em meio à poeira novamente.(...)
Beijos e até a próxima






~ Não esqueça de seguir nossas redes sociais ~
Facebook | Twitter | Instagram | Youtube

*Postado Originalmente no Ensaio de Monomania.

Nenhum comentário:

Postar um comentário