09 outubro, 2015

Resenha: Festim das 12 cadeiras - Elvis Delbagno

Livro: Festim das 12 cadeiras
Autor: Elvis Delbagno
Editora: Schoba
ISBN: 978-85-8013-381-3
Ano: 2015
Páginas: 164
Sinopse: Ao comprar um conjunto de 12 cadeiras russas para o jantar anual, um casal homossexual descobre um tesouro embaixo do estofado de uma delas. Com as contas bancárias transbordando, os milionários resolvem manter o tesouro na cadeira e doá-lo ao primeiro convidado que se sentar nela. No entanto, eles percebem que isso será um problema quando um dos convidados não comparece ao jantar.
Estruturando-se nas comédias de costumes, nos deparamos com uma crítica social de um humor ácido extravasante dos diálogos preconceituosos dos personagens mais bizarros que poderiam surgir numa sociedade cheia de interesses.
Narrado de forma corrida como um roteiro cinematográfico e com diversas referências à cultura popular, o autor traça uma paródia ao clássico conto russo 12 cadeiras, de Ilf and Petrov, e ao filme Festim Diabólico, de Alfred Hitchcock.

  Em o Festim das 12 cadeiras somos apresentados ao casal homossexual Laerte e Carlão, que são podres de ricos. Eles compraram um conjunto de 12 cadeiras russas onde em uma delas, eles descobriram que havia algo duro dentro do estofado de uma delas e resolvem abrir para saber o que tinha dentro. Quando abriram descobriram que se tratava de um tesouro.

O ato de escolher os lugares em um jantar é uma forma de reconhecimento, de humildade, de educação e caráter. Existe uma hierarquia em uma mesa, sendo assim, o mais caridoso ficaria em pé.

  Mas como o casal possui muito dinheiro, eles decidiram fazer um jantar onde o convidado que se sentasse na cadeira premiada levaria o tesouro para casa. Mas não é tão simples quanto parece, o casal resolve colocar apenas 11 das cadeiras em volta da mesa de jantar e deixar a cadeira com o tesouro afastada, assim, quem ganharia o tesouro seria a pessoa mais humilde que deixaria todos se sentarem primeiro, mas como nem tudo sai como planejado, você terá que ler para descobrir quem se sentou na cadeira premiada e ganhou o tesouro.


  O livro é narrado em terceira pessoa, onde o narrador no começo do livro conversa com o leitor, e isso da a entender que é o próprio autor que está conversando com nós, mas esse tipo de narrativa vai ficando mais sutil durante o decorrer do livro. Mas a leitura não foi nem um pouco rápida para mim. Vou falar sobre isso daqui a pouquinho.

  Em cada capítulo do livro, nós somos apresentados a história de cada um dos convidados do jantar, o que me incomodou muito, pois pensei que o livro fosse focar no jantar e no que ocorreu com o ganhador após descobrir o tesouro, mas isso não ocorreu. Por isso, lá pelo meio do livro esse tipo de narrativa não estava mais me prendendo e estava se tornando maçante porque alguns convidados tem histórias bem legais e engraçadas, mas outros, na minha opinião, nem precisariam ser mencionados.


  O autor escreve de forma bem novelística e coloca detalhes que não achei que seriam interessantes para quem está lendo. Apesar do livro ser bem fininho, eu demorei mais de uma semana para lê-lo. Mas uma coisa que eu achei bem interessante foi que no final do livro existe algumas notas do editor, que gostaria muito de saber se foi o editor mesmo que acrescentou elas ou foi o autor que as colocou para dar um ar descontraído no história.

  Confesso também que o final que o autor escolheu não me agradou muito. Mas não estou dizendo que vocês não devem ler o livro, estou dizendo que para mim não foi uma leitura aproveitosa, mas que pode ser para vocês.


  Uma coisa que tenho que ressaltar é o capricho da editora com a edição do livro. A capa é linda e muito bem feita! Adorei o auto relevo que possui na capa no contorno da cadeira, isso foi super bem feito. Além da diagramação que me agradou bastante.

  Acho que é isso que eu tenho para falar sobre o Festim das 12 cadeiras. Aqui aproveito para agradecer a Editora Schoba que cedeu o exemplar para a resenha.

Beijos e até mais!



~ Não esqueça de seguir nossas redes sociais ~

3 comentários:

  1. Pensa num livro que dividiu opiniões?! Ele divertiu muitos leitores que curtem humor ácido com um toque de crítica social, elaborada de forma incomum. Mas fico feliz em conferir sua opinião sobre o livro :). Abraços e até a próxima!

    ResponderExcluir
  2. Olá Denise
    Já tinha lido algumas resenhas sobre o livro e li positivas e negativas, o que me deixou bem curioso para ver qual seria minha reação ao lê-lo.
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Esse é um daqueles livros que provam que um livro pode ser maravilhoso para algumas pessoas e ruim para outras.
    Como já conversamos, você sabe que minha opinião é muito parecida com a sua e que mesmo eu estando super empolgada com a história acabei me decepcionando um pouco.

    Beeijo
    http://resenhandosonhos.com

    ResponderExcluir